12 de agosto de 2018

Aquele cara que alcança os brinquedos mais altos na prateleira

Quem teve o pai presente durante a infância lembra daquela sensação de ter alguém que protege. Aquele cara que alcança os brinquedos mais altos na prateleira, que segura na descida do escorregador, que toma o remédio para provar que não é amargo (mais tarde se descobre que na verdade ele não engoliu), que assopra o machucado para acabar com a dor, que não tem medo do trovão e olha debaixo da cama para espantar o bicho esquisito que mora lá. Tudo isso se torna ainda mais mágico se não é algo esporádico que o homem faz apenas para dar meia hora para a mãe respirar. A boa notícia é que, sim, os pais estão se envolvendo mais na criação dos filhos, desde as brincadeiras até as broncas e febres de madrugada.