16 de dezembro de 2018

Defesa de João de Deus pedirá medidas cautelares

O criminalista Alberto Toron, que representa o médium João de Deus, negou movimentações suspeitas de R$ 35 milhões na conta e aplicações financeiras e afirmou que o líder espiritual não planejava deixar o País. João de Deus se apresentou às autoridades neste domingo, 16, em Abadiânia (GO), e encaminhado para a Delegacia Estadual de Investigação Criminal (Deic), em Goiânia, onde prestará depoimento.
"O dinheiro não foi sacado, o senhor João de Deus apenas baixou as aplicações. Não houve movimentação. Ele não sacou o dinheiro do banco e não estava fora do Estado", afirmou Toron. Segundo o advogado, o médium prestará depoimento e será encaminhado a uma unidade prisional do Estado.