6 de agosto de 2019

Usina hidrelétrica e pesquisadores buscam transformar plantas aquáticas em biocombustível

Uma usina hidrelétrica de Jupiá, no interior de São Paulo, está buscando outras fontes de energia além do que elas já são habituadas a produzir: o biocombustível. Para isso, a usina e pesquisadores do noroeste paulista estão transformando plantas aquáticas em biocombustível.
Além de viabilizar o aproveitamento energético de um resíduo, que é um problema para as usinas, o projeto vai realizar também um mapeamento e monitorar as plantas aquáticas.

Tudo começou quando pequenas ilhas verdes no meio do Rio Paraná começaram a chamar a atenção dos frequentadores pela beleza, mas escondiam um problema nos rios do sudeste e centro-oeste do país.
Estudos concluíram, então, que essas plantas recebiam uma carga grande de fertilizantes das lavouras e do esgoto de cidades próximas.
“São plantas naturais de rios e reservatórios que se proliferam onde elas encontram um ambiente favorável com luz e nutrientes”, afirma o biólogo Rogério Marchetto Antonio.