18 de março de 2020

Como a tecnologia vai transformar sua experiência de viajar

Não é a tecnologia que vai mudar aquela máxima que diz que "viajar é preciso". Por mais que a realidade virtual possibilite conhecer qualquer lugar do mundo sem sair de sua cidade, nada substitui a sensação de estar, de fato, em um lugar novo. Afinal, viajar é muito mais do que admirar paisagens; é sentir, tocar, experimentar diferentes sabores e sensações.
Mas, se a tecnologia não parece mudar o hábito de viajar, ela ao menos deve transformar a forma como isso acontece, incluindo até mesmo a possibilidade de visitar lugares jamais explorados. Que tal passar suas férias no espaço? Nos próximos 20 anos, as viagens - aqui na Terra ou fora dela - vão se tornar experiências mais ricas para os viajantes e também mais sustentáveis.

Essas projeções são do futurólogo britânico de renome internacional Ray Hammond, que elaborou o relatório "The Future Travel Experience", encomendado pela Allianz Partners. O especialista identificou as principais tendências que revolucionarão as viagens até 2040. Entre as previsões, Hammond cita reconhecimento facial em check-ins, trens super-rápidos, cruzeiros sustentáveis e até viagens para o espaço.
O estudioso lembra que o setor de viagens está sofrendo crescente pressão dos viajantes por experiências mais rápidas e eficientes, o que deve impulsionar muitas das mudanças nas próximas duas décadas. "Até 2040, os assistentes de software pessoais serão suficientemente inteligentes para ajudar os turistas a reservar suas viagens online e serão capazes de lidar com todas as complexidades do planejamento com vários destinos, a fim de atender às necessidades do viajante", descreve.