19 de março de 2020

Veja quais os sintomas que indicam a necessidade de procurar o atendimento

Entre terça-feira, 17, e quarta, 18, o setor para pessoas com doenças respiratórias do Hospital de Base, inaugurado no início desta semana, atendeu cerca de cem pacientes com sintomas leves de gripe. Uma multidão de pessoas que deveriam estar em casa pela sua segurança, de sua família e de quem está ao redor. A recomendação é para que essas pessoas fiquem em casa e só procurem um serviço de saúde caso os sintomas se agravem. A solicitação foi feita por diretores do HB em coletiva de imprensa que aconteceu do lado de fora do prédio, para evitar aglomeração em locais fechados.

Os sintomas leves de coronavírus - bem como de qualquer outro resfriado ou gripe - incluem dor de garganta ou de cabeça, febre, coriza, tosse e espirros. Os sinais de alerta, que devem motivar a ida até uma unidade de atendimento, são cansaço, falta de ar, dores fortes e extremidades arroxeadas - esse último sinal aponta que o sangue não está circulando adequadamente pelo corpo. "Nesse momento de crise devemos pensar no coletivo e vir só em casos necessários. O hospital é um ambiente contaminado", afirma Amália Tieco, diretora-administrativa do HB. Desde o início da semana, UBSs e UPAs em Rio Preto também vêm enfrentando filas e lotações.

A médica afirma que muitos pacientes que estão com resfriados leves estão se dirigindo ao hospital espontaneamente por "curiosidade" de saber se estão contaminados com o coronavírus. Além de não ser possível testar todos, por insuficiência de equipamentos não só em Rio Preto, mas em todo o Brasil, as pessoas correm o risco de adoecer ao entrar em contato com vírus (não só o Covid-19), por mais que se tomem medidas de precaução, e os serviços de saúde ficam sobrecarregados, deixando por vezes de socorrer quem precisa por conta da lotação desnecessária.