No sétimo mês seguido de alta, indústria cresce 1,2%



Ao todo, 17 das 26 atividades checadas já se recuperaram das perdas, aponta IBGE

Passado o pior momento da crise provocada pela pandemia do novo coronavírus, a indústria brasileira engatou uma sequência de sete meses de recuperação. A produção avançou 1,2% em novembro ante outubro de 2020, superando em 2,6% o patamar de fevereiro, no pré-pandemia.
Das 26 atividades investigadas, 17 já se recuperaram das perdas, operando em nível igual ou superior ao pré-crise sanitária, segundo a Pesquisa Industrial Mensal divulgados nesta sexta-feira, 8, pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

"Apesar do bom desempenho de maio para cá, essas altas não vão ser suficientes para anular a queda do ano, que estimamos em 4,8%, mas já começa pavimentar o crescimento da indústria em 2021", diz o economista-chefe da agência de classificação de risco Austin Rating, Alex Agostini, que prevê um avanço de 11,70% na produção industrial em 2021.
 A retomada verificada até novembro de 2020 foi impulsionada pelas medidas emergenciais adotadas pelo governo no enfrentamento da crise provocada pela pandemia de Covid-19, avaliou André Macedo, gerente da Coordenação de Indústria do IBGE.

 "A gente tem uma melhora do comportamento da indústria ao longo de 2020, face a uma perda importante observada em função da necessidade de isolamento social, mas ainda tem um espaço importante a ser recuperado", disse Macedo. O setor industrial acumulou um crescimento de 40,7% em sete meses, resultado mais do que suficiente para recuperar a perda de 27,1% registrada em março e abril, na série com ajuste sazonal.
 No entanto, a indústria ainda opera 13,9% abaixo do nível recorde alcançado em maio de 2011.

Nenhum comentário: