10 de jan. de 2021

Polícia busca por suspeito de enviar presente-bomba a mulher em SP.


Equipes estão nas ruas. Floricultura e motoboy já foram identificados. Edileuza Ramalho permanece internada.

A Polícia Civil já está atrás do suspeito de enviar o presente-bomba a Edileuza Cardoso Ramalho dos Santos, de 50 anos. A vítima permanece internada com diversos ferimentos no rosto e nos braços. Também já foi identificada a floricultura que enviou o buquê com o pacote com explosivos. O motoboy, que fez a entrega, também seria da floricultura. As informações são da Record TV. 

A polícia já sabe também que a bomba era caseira, feita por pregos, e foi preparada pelo próprio suspeito.
No hospital, Edileuza conversou com a Record TV e disse ter certeza de quem enviou o artefato explosivo. "É um ex-namorado e não o pai dos meus filhos. A gente estava num relacionamento, mas era possessivo. Queria que mostrasse fotos para mostrar onde eu estava e mentiu sobre uma separação", conta.

Segundo a vítima, a explosão ocorreu logo depois que ela chegou do serviço. Ela até tirou foto do pacote de presente: "Era uma caixa de sapato e começou a pegar fogo. Depois não lembro de mais nada".
Edileuza chorou ao saber o estrago feito na residência. O teto veio abaixo e destruiu parte da sala e cozinha. Apavorada, ela diz que não dorme mais: "Toda hora eu acho que ele vai entrar aqui. Tenho muito medo. Que a justiça seja feita e a polícia encontre ele para que não faça mais isso", revela a vítima.