Turma do Peãozinho será produzida em Barretos no formato de série para a web com recursos da Lei Aldir Blanc


Depois de 11 anos, a Turma do Peãozinho, série que retrata a cultura caipira e sertaneja da cidade de Barretos e o Folclore Brasileiro, será produzida novamente mas, desta vez, no formato para a web em 20 episódios de cerca de 10 minutos.

O retorno será possível após o jornalista, empresário, criador e roteirista, Milton Figueiredo, ser um dos três selecionados com projetos de atividades artísticas e culturais por meio da Lei Aldir Blanc que possam ser transmitidos pela internet ou disponibilizados por meio de redes sociais e outras plataformas digitais, ou que possam ser executados em ambiente controlado ou pós-pandemia do novo coronavírus em atendimento ao artigo 2º, Inciso III, da lei de emergência cultural – lei federal nº 14.017, de 29 de junho de 2020, e do artigo 9º do decreto federal 10.464 de 17 de agosto de 2020, que dispõem sobre ações emergenciais destinadas ao setor cultural a serem adotadas durante o estado de calamidade pública.


A nova temporada da Turma do Peãozinho contará a história do menino Tavinho, de 7 anos. Ele tem o apelido de Peãozinho por viver competindo em Rodeios de Carneiros. Depois dele se aventurar na mata assombrada no meio de sacizinhos, com seu bicho de estimação, o esperto e inteligente pintinho Cocó, terá que salvar sua irmãzinha Dri que fora sequestrada pelo atrapalhado Lobi, um lobisomem que vive na parte assombrada da mata nos fundos do rancho onde vive com a família. Para libertar a pequena, Lobi exige que Peãozinho lhe traga um fio de cabelo da sereia Iara.

Postar um comentário

0 Comentários