Pirarucu, natural da Amazônia, conquista admiradores no noroeste paulista.


Da propriedade de Armando Prato Neto saem aproximadamente 60 toneladas de peixes por ano. A estrutura é para atender pesqueiros da região de Estrela D'Oeste (SP).
Armando trabalha com a pecuária desde 1982, mas também quis levar a vida como piscicultor. Ele conta que, após regularizar a criação de peixes no Ibama, começou a trabalhar com as espécies pacu e tambaqui, vindas do norte do país.

Já na década de 90, Armando trouxe outra espécie lá da bacia amazônica, o pirarucu, e há cerca de quatro anos o gigante da água doce começou a se reproduzir naturalmente no noroeste paulista.
A espécie pode pesar até 200 quilos. Nos tanques, eles aparecem rapidamente na superfície para respirar, mas logo voltam para dentro da água.

Postar um comentário

0 Comentários