24 de março de 2021

Não há provas de que lockdowns salvam vidas, mas há várias evidências de que causam mortes.


Agora que os números de 2020 foram devidamente computados, ainda não há evidências convincentes de que os lockdowns reduziram o número de mortos da Covid-19. Mas um efeito é claro: mais mortes por outras causas, especialmente entre os jovens e pessoas de meia-idade, minorias e os menos ricos.
O melhor meio de medir o impacto da pandemia é o que os estatísticos chamam de "excesso de mortalidade", que compara o número geral de mortes com o total nos anos anteriores. Essa medida aumentou entre os americanos mais velhos por causa da Covid-19, mas aumentou em uma taxa ainda mais acentuada entre as pessoas de 15 a 54 anos, e a maioria dessas mortes em excesso não foram atribuídas ao vírus.

Algumas dessas mortes podem ser casos de Covid-19 não detectados e outras podem não estar relacionadas à pandemia ou aos lockdowns. Mas os relatórios preliminares apontam para alguns fatores óbvios relacionados aos lockdowns. Houve um declínio acentuado nas visitas às salas de emergência e um aumento nos ataques cardíacos fatais devido ao não recebimento de tratamento imediato. Muito menos pessoas foram testadas para câncer. O isolamento social contribuiu para o excesso de mortes por demência e Alzheimer.

Pobres e minorias são as vítimas
Os pesquisadores previram que a turbulência social e econômica levaria a dezenas de milhares de "mortes de desespero" por overdose de drogas, alcoolismo e suicídio. Com o aumento do desemprego e a interrupção dos programas de tratamento de abuso de drogas e saúde mental, os níveis relatados de ansiedade, depressão e pensamentos suicidas aumentaram dramaticamente, assim como as vendas de álcool e overdoses fatais.
O número de pessoas mortas no ano passado em acidentes de trânsito nos Estados Unidos atingiu o nível mais alto em mais de uma década, embora os americanos tenham dirigido significativamente menos do que em 2019. Foi o maior aumento anual na taxa de mortalidade por quilômetro viajado em quase um século, aparentemente devido a mais abuso de substâncias e mais direção em alta velocidade em estradas vazias.