Venda de produtos não essenciais será proibida no comércio do RS.



O governo do estado do Rio Grande do Sul proibiu, por meio de decreto publicado nesta sexta-feira (5), que estabelecimentos comerciais, incluindo supermercados, vendam produtos considerados não essenciais. A nova regra obriga que essas mercadorias sejam retiradas das prateleiras.

As punições previstas no decreto vão de advertência, no caso da primeira atuação, até interdição parcial ou total, cancelamento da autorização para funcionamento e cancelamento de alvará. Também há previsão de multas, que variam de R$ 2.000, em casos leves, até R$ 1,5 milhão, para infrações consideradas gravíssimas.

"Nossa intenção é reduzir a circulação de pessoas nos supermercados, para que elas se dirijam a esses estabelecimentos apenas para comprar itens essenciais - itens de higiene, limpeza e alimentação. Assim, reduzimos a circulação, a entrada e a permanência nesses estabelecimentos." Eduardo Leite (PSDB-RS), governador do RS.

Punição para quem não usar máscaras Além de apertar as normas sobre o comércio, o decreto também estabelece multa de até R$ 4.000 para os cidadãos flagrados sem máscara ou usando a proteção de maneira errada. A obrigatoriedade vale em espaços públicos e privados acessíveis ao público, em vias públicas e no transporte público coletivo.

"Absurdo total ! E tem gente q aplaude ! Onde fomos parar.! As pessoas estão concordando com a perda da liberdade por um suposto aumento de segurança, no fim vão ficar sem os dois e será tarde para reclamar, os aprendizes de tiranetes estão fazendo experiências e concluindo que as pessoas concordam com medidas autoritárias....isso é um perigo! e depois,  não vai adiantar tentar gritar, a mordaça já estará bem apertada...."Por "OSCAR LUIZ SILVA DOS SANTOS".

Fonte: uol

Nenhum comentário: