22 de abril de 2021

8 Relatos sobre óvnis, abduções e ETs que você precisa conhecer.


Corpos que voam com velocidades incríveis, emitindo luzes capazes de cegar e deixando marcas no chão e em pessoas. Relatos de quem já viu um objeto voador não identificado (óvni) são cheios de mistério e um quê de charlatanismo. Os ufólogos – gente que investiga essas ocorrências – armam que 95% dos avistamentos de disco voador são engano: na maioria das vezes, não passam de um equipamento aéreo incomum, um fenômeno eletromagnético ou pura invenção. 

ROSWELL (EUA), 1947 Um dos incidentes mais investigados da história permanece sem explicação, abrindo margem para teorias conspiratórias O fazendeiro William Mac Brazel era acostumado a encontrar peças de balões meteorológicos em sua propriedade, a cerca de 50 km de Roswell, sudoeste dos EUA. 
Em 1947, descobriu que a imprensa tinha interesse por evidências de alienígenas na região e só então deu atenção a destroços incomuns que apareceram no rancho. O major Jesse Marcel foi até o local resgatar o que havia caído do céu. A notícia se espalhou e o jornal Roswell Daily Record publicou, em 8 de julho, que a Força Aérea havia capturado um disco voador. No dia seguinte, porém, o jornal se retratou, explicando que os destroços eram de um balão meteorológico.
 O incidente ficou esquecido por 30 anos, até uma entrevista de Jesse ao ufólogo Stanton Terry Friedman, em 1978. O major acreditava que os destroços fossem de uma nave alien. Desde então, o caso tem sido investigado por ufólogos, que acreditam que o Exército dos EUA tenha encoberto a descoberta de naves tripuladas. Em 1994, o governo se pronunciou: os destroços de Roswell eram parte do projeto secreto Mogul, que usava balões equipados para detectar testes nucleares soviéticos.
 Três anos depois, outro relatório oficial afirmou que os supostos corpos de alienígenas eram bonecos, também usados em projetos secretos. Em 1997, o coronel Philip Corso revelou, no livro The Day Aer Roswell, sua participação em um projeto secreto que investigava destroços de óvnis. Segundo o autor, as peças encontradas em Roswell foram base para o desenvolvimento de tecnologias como raio laser, fibra óptica, visão noturna, Kevlar e circuito integrado. Em 2011, o FBI divulgou um relatório, datado de 1950. São citadas três naves, de 1 m de diâmetro, cada uma ocupada por três pequenos corpos.