'Período tenso e complexo', diz PM sobre negociação para liberar refém em Icém.



Homem manteve a ex-namorada refém, com uma faca no pescoço, por aproximadamente quatro horas na quinta-feira, 22.

A Polícia Militar foi até o local, mas, como o homem demonstrou estar irredutível em largar a vítima, o coronel Marcelo Perin, do 52º Batalhão da Polícia Militar de Mirassol, acionou o comandante da companhia da PM em Nova Granada, capitão Lenarduzzi, também treinado em gerenciamento de crise e negociação de reféns.

 "O período de negociação foi bem tenso e complexo, porque o rapaz estava tomado por uma perturbação emocional muito grande. E a mãe dele disse que ele tinha acabado de fazer uso de medicamentos controlados. Houve uma oscilação muito grande, com picos de euforia e nervosismo, com alteração comportamental, com alguns poucos momentos de calmaria. E a gente foi trabalhando essa situação durante a negociação, com técnicas próprias para convencê-lo a deixar a ideia de matar a ex-convivente e depois se matar", explica Lenarduzzi.

 O capitão da PM afirma que conseguiu convencer o homem a se entregar depois de fazê-lo refletir que todas as pessoas passam por dificuldade e sobre possibilidade de recomeço. Depois disso, o rapaz, soltou a faca, libertou a vítima e se entregou. Imediatamente foi algemado e levado para prestar depoimento na delegacia de Icém.

"Eu fiz curso de gerenciamento de crises e curso específico de negociação de crises com refém. Tinha oportunidade de fazer estes cursos do Grupo de Ações Táticas Especiais (Gate), difusor das técnicas de gerenciamento de crises no estado de São Paulo", afirma o oficial. Toda a negociação foi apoiada por equipes do Batalhão de Ações Especiais da Polícia Militar de Rio Preto (Baep), que cercaram as imediações, e acompanhada pela delegado de Icém, Antônio Honório do Nascimento.

Fonte: Diário da Região


Nenhum comentário: