25 de abril de 2021

Preço do coágulo de borracha dobra em relação à safra passada.


Região noroeste paulista é a maior produtora de borracha do país.

Antes mesmo de o sol nascer, os 15 sangradores já trabalham bastante na floresta que fica no município de Jaci (SP). Segundo o dono do seringal, essa equipe é a peça chave na produção.
Além do empenho no trabalho manual, a tecnologia tem ajudado bastante. Com um tablete, é possível tirar fotos das árvores, medir o corte, a profundidade e ver se tudo está seguindo como o planejado. As informações vão para um software, que pode ser consultado sempre que for preciso e à distância.

Esse trabalho de levantamento de dados é feito pelo técnico agrícola Fabrício Pelicer, que também conta com a ajuda do gerente da unidade. O sistema é usado há quatro anos. Para ele, contar com a ajuda tecnológica tem auxiliado na hora de detectar possíveis problemas na produção e, quanto antes identificado, mais fácil de conseguir encontrar soluções.

Pelo celular, na palma das mãos, Pedro acompanha todas as informações. São 53 mil árvores produzindo. O clima não colaborou muito, faltou chuva. Por isso, a produção vai ser menor que o esperado, com uma queda de até 30%.